Departamento de Artes Cênicas, Instituto de Artes, UnB
Aisthesis 2014/2015
Oliveira, Francis Wilker, Glauber Coradesqui, Giselle Rodrigues, Jonathan Andrade e Kenia Dias. Foto Rayssa Coe.
Fale Com Ela Doce Como Quê? (2012)
Teatro Pândego / Laboratório de Performance e Teatro do Vazio (LPTV). Deborah Soares, Mariana Neiva, Felipe Fernandes, Carol Voigt. Pedro Mesquita, Rogério Luiz. Direção Simone Reis. Figurino Cyntia Carla. Foto Mila Petrillo.
Mateus e Mateusa (2012 e 2013)
Espetáculo de Qorpo Santo. Direção César Lignelli. Realização Coletivo alaOca. Foto Diego Bresani.
'79 Fjorden
Teatret OM - Dinamarca. Direção Leo Sykes, elenco: Sandra Pasini, Annemarie Waagpetersen, Hisako Miura. Fotografia: Tommy Bay.
Cabeça Sem Mente (2013)
PEAC Teatro de Mentira. Rogério Luiz e Clarisse Johansson. Direção Felicia Johansson. Foto Lis Marina Oliveira.
Ensaio (2014)
Foto Bruno Corte Real.
Mundaréu (2014)
Elenco: Davi Maia, Helena Miranda, Jordana Mascarenhas, Miguel Peixoto e Thiago Ramos. Direção: Alice Stefânia.Fotografia: Fernando Santana, Nathalia Azoubel, Thiago Barreto
IAGO (2005)
Nei Cirqueira, Camila Meskel, Thiago Sabino e Joabe Coelho. Texto de Marcus Mota. Direção Nitza Tenenblat. Foto Raphael Herzog.
Musical Moments for Clown and Pianist
Direção Leo Sykes e Paul Barker, elenco Marcelo Beré e Alban Coombs Fotografia: Claire Shovelton.
Close (2001)
Instalação sonora de Iain Mott. Photo: Iain Mott
Ivan e os Cachorros, de Hat Naylor (2011-2014) CHIA, LIIAA!
Direção e tradução de Fernando Villar. Com Eduardo Mossri. Foto Diego Bressani.
A Quatro (2008)
Comédia de Fernando Marques. Elenco: Arthur Tadeu Curado, Andréa Alfaia, Vinícius Ferreira e Giselle Ziviank. Direção Arthur T. Curado. Fotografia Raphael Herzog.
Nem Todo Azul, Nem Todo Distante
Criação: Eduardo Baron; Emyle Daltro; Lívia Fernandez; Luana Miguel; Roberta Matsumoto; Rodrigo Fischer. Trilha Sonora do vídeo: Francisco Raupp e Janary Gentil.
O Espelho (2012)
O Espelho é feito pelo artista sonoro Iain Mott e pela atriz/performer Simone Reis em colaboração com outros incluindo: artista plástico Nelson Maravalhas, videomaker Alexandre Rangel, o dramaturgo Camilo Pellegrini, iluminadora e arquiteta Jamile Tormann, figurinos Cyntia Carla e Simone Reis. Foto: Mila Petrilo.
Cabeça Sem Mente (2013)
PEAC Teatro de Mentira. Karinne Ribeiro, Rogério Luiz, Tiago Medeiros, Francisco Bruno, Ana Paula Medeiros, Clarisse Johansson. Direção: Felicia Johansson. Foto Lis Marina Oliveira.
Malvarosa (2010)
Atuação: Bernardo Côrtes, Caio Lins, Cleide Mendes, Diego Borges, Eros Bittencourt, Michelli Santini, Ramayana Régis e Rita Cruz. Direção musical: Fábio Miranda. Direção: Alice Stefânia. Foto Fernando Santana.
Fulô Blagi (2010)
Grupo Teatral de São Tomé e Príncipe. Direção Izabela Brochado. Foto Izabela Brochado.
Contos Escolhidos (2014)
Direção Izabela Brochado. Fotografia Izabela Brochado.
Danaides (2011)
Basirah Dança Contemporânea. Direção Giselle Rodrigues. Foto Mila Petrillo.
Contos Latidos de Amor e Sapitucas (2012)
Teatro Pândego / Laboratório de Performance e Teatro do Vazio (LPTV). Natasha Padilha, Paulo Victor Gandra, Luísa Duprat, Felipe Fernandes, Mariana Neiva. Direção Simone Reis. Foto Mila Petrillo.
Hamuleto (2002)
Simone Reis. Figurino Sonia Paiva. Direção Leo Sykes. Foto Mila Petrillo.
Drª Aspas Powers Massachussets (2009)
Cecília Borges no evento Tubo de Ensaio da UnB. Foto: Luciano Porto.
Ensaio (2014)
Foto Bruno Corte Real

O Departamento de Artes Cênicas iniciou atividades em 1989, juntamente com o Departamento de Artes Visuais. Somados ao Departamento de Música, os três Departamentos criaram o Instituto de Artes da Universidade de Brasília, naquele mesmo ano. Desde então o Departamento de Artes Cênicas tem mantido uma constante ampliação de seu alcance e contundência, na arte e na educação. 

Atualmente nossos cursos de graduação incluem duas Licenciaturas em Educação Artística/Artes Cênicas – nos turnos diurno e noturno – e o Bacharelado em Interpretação Teatral. Desde 2002, o Departamento mantém duas linhas de pesquisa – Processos Composicionais para a Cena, e Culturas e Saberes – no Mestrado e Doutorado em Arte Contemporânea, do Departamento de Artes Visuais. Em 2014, o nosso Mestrado em Artes Cênicas foi criado com estas duas linhas de pesquisa – o mais jovem Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas no Brasil, mas com toda a experiência no outro Programa. No ano de 2007 o Departamento de Artes Cênicas da UnB foi pioneiro na Licenciatura em Teatro a Distância, da Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Nossos cursos investem no entendimento e experiência de uma linguagem artística em sua totalidade múltipla e interdependente, composta por atuação, cenografia, coreografia, sonoplastia, figurinos, maquiagem, produção, dramaturgia, direção, iluminação. Investigamos a aplicabilidade do potencial interdisciplinar da linguagem teatral no ensino e aprendizagem de outras áreas de conhecimento, disciplinas  e/ou matérias escolares.

As disciplinas, atividades e processos teórico-práticos dos eixos complementares de atuação, movimento e voz são integradas às dos eixos de teoria e história, encenação e direção, para estudos e práticas de diferentes domínios técnico-criativos do teatro. Esta integração no Bacharelado é ampliada nas nossas Licenciaturas, com o eixo de pedagogia do teatro, com suas disciplinas específicas de metodologias e didáticas das artes cênicas, além das disciplinas nos Departamentos de Pedagogia e Psicologia. Aliado ao investimento no diálogo constante com outras artes e áreas do conhecimento humano, nossos cursos de Graduação e Pós-Graduação privilegiam o entendimento da arte como infinito de opções poéticas individuais e coletivas de cidadãos e cidadãs, nas salas de aula, ruas, palcos e redes. Enfatizamos a potência da transformação pessoal e coletiva ou individual e social no diálogo e nutrição mútua entre arte e educação.

Segundo o jornalista e escritor gaúcho Lourenço Cazarré, “a história do teatro de Brasília se confunde com a história do Departamento de Artes Cênicas da UnB”. Nosso corpo docente congrega artistas e professores e/ou artistas professores atuantes na cena e na academia local, nacional e internacional. A diversidade singular de pesquisas ou criações artísticas e pedagógicas dos professores do Departamento é espelhada por suas pós-graduações em instituições renomadas da Austrália, Brasil, Estados Unidos, França, Inglaterra, Irlanda e Portugal.

Muitos de nossos estudantes também vivenciam estudos no exterior, nas dezenas de universidades estrangeiras com convênios e intercâmbio com a UnB. Nosso corpo discente participa de eventos e excursões locais, regionais, nacionais e internacionais. Com o Programa de Mobilidade Acadêmica, nossas alunas e alunos também têm estudado em outras instituições federais brasileiras.

Em suas quase três décadas, o Departamento de Artes Cênicas da UnB graduou e pós-graduou professores e professoras para o ensino fundamental, médio e superior, assim como atores e atrizes de Brasília e de outras cidades brasileiras, que também firmaram suas carreiras em teatro, cinema, dança, televisão, música e educação, no Distrito Federal, no país e/ou em diferentes nações. Em variadas arenas e espaços de arte, ensino e aprendizagem do planeta nossos bacharéis, licenciados, mestres, doutores e pós-doutores também são atuantes diretores, iluminadores, pedagogos, figurinistas, cenógrafos, coordenadores, coreógrafas, dançarinos e bailarinas, músicos e cantoras, maquiadores, fotógrafos, performers, pesquisadores, palhaças, críticos, animadores culturais, produtores, consultores e/ou teóricos das artes cênicas e performativas.