Departamento de Artes Cênicas, Instituto de Artes, UnB
Ivan e os Cachorros, de Hat Naylor (2011-2014) CHIA, LIIAA!
Direção e tradução de Fernando Villar. Com Eduardo Mossri. Foto Diego Bressani.
Close (2001)
Instalação sonora de Iain Mott. Photo: Iain Mott
Drª Aspas Powers Massachussets (2009)
Cecília Borges no evento Tubo de Ensaio da UnB. Foto: Luciano Porto.
Nem Todo Azul, Nem Todo Distante
Criação: Eduardo Baron; Emyle Daltro; Lívia Fernandez; Luana Miguel; Roberta Matsumoto; Rodrigo Fischer. Trilha Sonora do vídeo: Francisco Raupp e Janary Gentil.
Cabeça Sem Mente (2013)
PEAC Teatro de Mentira. Karinne Ribeiro, Rogério Luiz, Tiago Medeiros, Francisco Bruno, Ana Paula Medeiros, Clarisse Johansson. Direção: Felicia Johansson. Foto Lis Marina Oliveira.
Ensaio (2014)
Foto Bruno Corte Real
Contos Escolhidos (2014)
Direção Izabela Brochado. Fotografia Izabela Brochado.
Fulô Blagi (2010)
Grupo Teatral de São Tomé e Príncipe. Direção Izabela Brochado. Foto Izabela Brochado.
O Espelho (2012)
O Espelho é feito pelo artista sonoro Iain Mott e pela atriz/performer Simone Reis em colaboração com outros incluindo: artista plástico Nelson Maravalhas, videomaker Alexandre Rangel, o dramaturgo Camilo Pellegrini, iluminadora e arquiteta Jamile Tormann, figurinos Cyntia Carla e Simone Reis. Foto: Mila Petrilo.
Ensaio (2014)
Foto Bruno Corte Real.
Musical Moments for Clown and Pianist
Direção Leo Sykes e Paul Barker, elenco Marcelo Beré e Alban Coombs Fotografia: Claire Shovelton.
Mateus e Mateusa (2012 e 2013)
Espetáculo de Qorpo Santo. Direção César Lignelli. Realização Coletivo alaOca. Foto Diego Bresani.
Cabeça Sem Mente (2013)
PEAC Teatro de Mentira. Rogério Luiz e Clarisse Johansson. Direção Felicia Johansson. Foto Lis Marina Oliveira.
A Quatro (2008)
Comédia de Fernando Marques. Elenco: Arthur Tadeu Curado, Andréa Alfaia, Vinícius Ferreira e Giselle Ziviank. Direção Arthur T. Curado. Fotografia Raphael Herzog.
Fale Com Ela Doce Como Quê? (2012)
Teatro Pândego / Laboratório de Performance e Teatro do Vazio (LPTV). Deborah Soares, Mariana Neiva, Felipe Fernandes, Carol Voigt. Pedro Mesquita, Rogério Luiz. Direção Simone Reis. Figurino Cyntia Carla. Foto Mila Petrillo.
Contos Latidos de Amor e Sapitucas (2012)
Teatro Pândego / Laboratório de Performance e Teatro do Vazio (LPTV). Natasha Padilha, Paulo Victor Gandra, Luísa Duprat, Felipe Fernandes, Mariana Neiva. Direção Simone Reis. Foto Mila Petrillo.
Aisthesis 2014/2015
Oliveira, Francis Wilker, Glauber Coradesqui, Giselle Rodrigues, Jonathan Andrade e Kenia Dias. Foto Rayssa Coe.
Hamuleto (2002)
Simone Reis. Figurino Sonia Paiva. Direção Leo Sykes. Foto Mila Petrillo.
'79 Fjorden
Teatret OM - Dinamarca. Direção Leo Sykes, elenco: Sandra Pasini, Annemarie Waagpetersen, Hisako Miura. Fotografia: Tommy Bay.
IAGO (2005)
Nei Cirqueira, Camila Meskel, Thiago Sabino e Joabe Coelho. Texto de Marcus Mota. Direção Nitza Tenenblat. Foto Raphael Herzog.
Mundaréu (2014)
Elenco: Davi Maia, Helena Miranda, Jordana Mascarenhas, Miguel Peixoto e Thiago Ramos. Direção: Alice Stefânia.Fotografia: Fernando Santana, Nathalia Azoubel, Thiago Barreto
Malvarosa (2010)
Atuação: Bernardo Côrtes, Caio Lins, Cleide Mendes, Diego Borges, Eros Bittencourt, Michelli Santini, Ramayana Régis e Rita Cruz. Direção musical: Fábio Miranda. Direção: Alice Stefânia. Foto Fernando Santana.
Danaides (2011)
Basirah Dança Contemporânea. Direção Giselle Rodrigues. Foto Mila Petrillo.

O Departamento de Artes Cênicas iniciou atividades em 1989, juntamente com o Departamento de Artes Visuais. Somados ao Departamento de Música, os três Departamentos criaram o Instituto de Artes da Universidade de Brasília, naquele mesmo ano. Desde então o Departamento de Artes Cênicas tem mantido uma constante ampliação de seu alcance e contundência, na arte e na educação. 

Atualmente nossos cursos de graduação incluem duas Licenciaturas em Educação Artística/Artes Cênicas – nos turnos diurno e noturno – e o Bacharelado em Interpretação Teatral. Desde 2002, o Departamento mantém duas linhas de pesquisa – Processos Composicionais para a Cena, e Culturas e Saberes – no Mestrado e Doutorado em Arte Contemporânea, do Departamento de Artes Visuais. Em 2014, o nosso Mestrado em Artes Cênicas foi criado com estas duas linhas de pesquisa – o mais jovem Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas no Brasil, mas com toda a experiência no outro Programa. No ano de 2007 o Departamento de Artes Cênicas da UnB foi pioneiro na Licenciatura em Teatro a Distância, da Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Nossos cursos investem no entendimento e experiência de uma linguagem artística em sua totalidade múltipla e interdependente, composta por atuação, cenografia, coreografia, sonoplastia, figurinos, maquiagem, produção, dramaturgia, direção, iluminação. Investigamos a aplicabilidade do potencial interdisciplinar da linguagem teatral no ensino e aprendizagem de outras áreas de conhecimento, disciplinas  e/ou matérias escolares.

As disciplinas, atividades e processos teórico-práticos dos eixos complementares de atuação, movimento e voz são integradas às dos eixos de teoria e história, encenação e direção, para estudos e práticas de diferentes domínios técnico-criativos do teatro. Esta integração no Bacharelado é ampliada nas nossas Licenciaturas, com o eixo de pedagogia do teatro, com suas disciplinas específicas de metodologias e didáticas das artes cênicas, além das disciplinas nos Departamentos de Pedagogia e Psicologia. Aliado ao investimento no diálogo constante com outras artes e áreas do conhecimento humano, nossos cursos de Graduação e Pós-Graduação privilegiam o entendimento da arte como infinito de opções poéticas individuais e coletivas de cidadãos e cidadãs, nas salas de aula, ruas, palcos e redes. Enfatizamos a potência da transformação pessoal e coletiva ou individual e social no diálogo e nutrição mútua entre arte e educação.

Segundo o jornalista e escritor gaúcho Lourenço Cazarré, “a história do teatro de Brasília se confunde com a história do Departamento de Artes Cênicas da UnB”. Nosso corpo docente congrega artistas e professores e/ou artistas professores atuantes na cena e na academia local, nacional e internacional. A diversidade singular de pesquisas ou criações artísticas e pedagógicas dos professores do Departamento é espelhada por suas pós-graduações em instituições renomadas da Austrália, Brasil, Estados Unidos, França, Inglaterra, Irlanda e Portugal.

Muitos de nossos estudantes também vivenciam estudos no exterior, nas dezenas de universidades estrangeiras com convênios e intercâmbio com a UnB. Nosso corpo discente participa de eventos e excursões locais, regionais, nacionais e internacionais. Com o Programa de Mobilidade Acadêmica, nossas alunas e alunos também têm estudado em outras instituições federais brasileiras.

Em suas quase três décadas, o Departamento de Artes Cênicas da UnB graduou e pós-graduou professores e professoras para o ensino fundamental, médio e superior, assim como atores e atrizes de Brasília e de outras cidades brasileiras, que também firmaram suas carreiras em teatro, cinema, dança, televisão, música e educação, no Distrito Federal, no país e/ou em diferentes nações. Em variadas arenas e espaços de arte, ensino e aprendizagem do planeta nossos bacharéis, licenciados, mestres, doutores e pós-doutores também são atuantes diretores, iluminadores, pedagogos, figurinistas, cenógrafos, coordenadores, coreógrafas, dançarinos e bailarinas, músicos e cantoras, maquiadores, fotógrafos, performers, pesquisadores, palhaças, críticos, animadores culturais, produtores, consultores e/ou teóricos das artes cênicas e performativas.

EVENTOS e NOTÍCIAS